sexta-feira, 9 de outubro de 2015

[Resenha] Num Piscar De Olhos

Ficha Técnica:

ISBN: 978-85-68056-11-0
Título: Num Piscar De Olhos
Título Original: In a Heartbeat
Série: Heartbeat
Autora: Teodora Kostova
Editora: Editora Charme
Tradução: Ingrid Lopes
Ano: 2015
Páginas: 396
Categoria: Romance Estrangeiro

Sinopse:

Stella passou por grandes perdas em sua vida. Lidou com a morte muito jovem e com a saudade da sua melhor amiga, que foi morar na Itália com a mãe. quando a vida está começando a entrar nos eixos, a notícia de que ela está com câncer a deixa novamente sem chão. Após o doloroso tratamento, os médicos acreditam que Stella está finalmente recuperada e ela decide passar um tempo em Gênova, na Itália, para reencontrar sua prima e melhor amiga, antes de retornar ao médico para fazer o exame que determinará se ela está realmente curada. O que ela não imaginava é que a Itália vai lhe dar uma nova razão para viver.

Max se apaixona por Stella à primeira vista, mas conquistá-la não será fácil, já que há muita coisa que pode mantê-los separados para sempre. Após muita luta, Max finalmente vence sua resistência e conquista seu lugar ao lado da mulher que ama.

Mas será que Max e Stella serão fortes o suficiente para lutar nã só por seu amor, mas também por suas vidas?
--------------------------------------------------------------------------------------
Conheci esse livro em um dos eventos literários feitos pela Elimar Souza, do blog Alquimia dos Romances no Rio de Janeiro, o Papos&Ideias. O que mais me chamou a atenção nele, primeiramente foi a história da capa. Neste mesmo evento, foi explicado que autora encontrou essa foto e decidiu que escreveria uma história que a teria como capa. Após terminar o livro, descobri que isso realmente aconteceu, visto que a autora menciona essa situação na seção de "Agradecimentos" em seu final.

Aqui temos a personagem principal, Stella Quinn, uma menina de 14 anos, que está em casa, juntamente com sua mãe Helen e sua tia Nikki, esperando seu irmão mais velho, seu pai e seu tio (esposo de Nikki e pai de Lisa - sua prima) chegarem para assistir a um jogo na televisão. E a primeira mudança na vida da menina ocorre nesse mesmo dia, quando ela atende um telefonema inesperado, onde é informada sobre um acidente no qual seus três entes queridos (pai, irmão e tio) morrem. A partir daí toda a sua vida vira de cabeça para baixo. Ela perde Lisa, sua prima e melhor amiga, quando sua tia Nikki decide se mudar para a Itália para tentar um novo recomeço. Quatro anos depois, o bêbado que atingiu o carro que levou sua família a desmoronar é posto em liberdade e ela descobre que tem um câncer no fígado. Após várias idas ao hospital, ela precisa esperar algumas semanas para que o médico dê o resultado definitivo de seu tratamento, informando se ela está em remissão ou não e ela decide passar uma temporada com sua prima e tia em Gênova, na Itália. Serão seis semanas e sua mãe aceita bem a viagem e o tempo que estarão separadas uma da outra. E é aí que a história começa.

E quando a história começou eu esperava ver uma Stella madura. Apesar de ela só ter dezenove anos, passou por muita coisa e por isso eu esperava atitudes diferentes dela. Ela tem a proposta de que estará fazendo essa viagem justamente para passar um tempo com sua prima e esquecer a sua doença. Ela pretende se divertir, conhecer pessoas novas e recuperar o tempo perdido com sua melhor amiga. Mas não é isso o que ela faz... E antes de continuar essa opinião, vou falar um pouco sobre os personagens que ao meu ver, mais cresceram nessa história. Depois eu volto aqui.

Em Gênova, na Itália, conhecemos o Max. Ele é um rapaz de 22 anos, que passou por muita coisa na vida e que por isso tem seus complexos. Ele chegou ao fundo do poço após a morte de seu pai e isso fez com que os relacionamentos dele com sua irmã, Gia, com sua mãe e com seu melhor amigo, Beppe, sofressem alterações significativas. Mas após determinado acontecimento ele retoma seu rumo e consegue se reerguer. Ele tem uma personalidade forte, um quê de protetor e é o tipo de pessoa que, quando ama, ama com tudo o que tem. E ele se apaixona justamente pela Stella. Ele abre seu coração para ela. Compartilha com ela coisas que antes jamais sonharia em compartilhar porque confia nela. Porque a ama. Ele está ali a todo momento para ela e chega a ser transformado por causa do seu sentimento por ela. E a impressão que eu tenho é que isso foi pouco para Stella.

Outra parte importante dessa história é Lisa. Ela é a prima de Stella que após a morte de seu pai, teve que mudar de vida, sair de Londres e ir para um país diferente porque isso era o que a sua mãe precisava no momento. E ela soube aproveitar essa oportunidade. Ela estudou, trabalhou e vive muito bem com as suas pinturas e seus desenhos. Ela esqueceu a morte de seu pai? Não. Mas ela sabia que em algum momento teria que superar isso para poder continuar vivendo. E ela o fez. Ela se apaixonou. E Stella tirou alguma lição de tudo isso? Não.

Então, voltando para Stella... Eu tive a impressão de que ela fez durante toda a sua viagem tudo o que ela se dispôs a não fazer. Ela colocou a sua doença e as suas dores como um empecilho para tudo. Ela colocou sua doença no meio de sua relação com Max e quebrou o coração do rapaz. Senti que ele foi enganado durante toda a história e somente na página 358 ele descobre a verdade. Depois de ter sofrido pra caralho por causa do comportamento de Stella. Em nenhum momento ela pensou nele como um apoio, em nenhum momento deixou ele fazer a escolha sobre se queria segurar uma barra pesada com ela ou não... Simplesmente ignorou os sentimentos dele e pronto. Simples assim.

Com relação à Lisa... O que posso dizer? No momento em que sua prima mais precisou ela sequer deixou a menina se expressar. Pegou toda a sua frustação, dor e raiva ressentida e jogou em cima dela sem pestanejar. Nem sequer pensou que a sua melhor amiga estivesse fazendo o que fez por alguma razão maior. Simplesmente deu as costas para ela e sumiu por dias. Fiquei boquiaberta quando ela fez isso.

Em linhas gerais, posso dizer que gostei da escrita da Teodora Kostova. Só penso que em alguns momentos houveram detalhes demais que não eram tão relevantes para a história, como na passagem abaixo, onde é destacado todo o ritual de banho, hidratação e maquiagem da personagem. 

"Stella tomou um banho, tomando cuidado extra para lavar toda a água salgada do seu cabelo. Quando saiu do banheiro, ela ainda tinha cerca de uma hora antes de terem que sair. Maquiagem nunca foi seu forte - menos era mais, era a sua filosofia. Mas, tendo em vista que ia sair, Stella decidiu fazer um esforço extra. Ela hidratou o corpo e passou uma base liquida no rosto para complementar seu bronzeado. Então, delineou os olhos e aplicou duas camadas de máscara nos cílios, até que ficou satisfeita com o resultado. Com os olhos destacados, os lábios tinham que ficar mais apagados, por isso, ela aplicou um batom nude e sorriu para seu reflexo."

Também achei que o livro podia ter sido resolvido em pelo menos metade das páginas. Eu me senti tão dentro da rotina da Stella e por ela não ter sido uma personagem agradável aos meus olhos, acabei achando a história maçante. A autora é ótima, possui linguagem fluida, a tradução ficou impecável, a diagramação do livro lindíssima, mas a história em si deixou a desejar. Houveram momentos que eu quis saber mais da história da Lisa e do Gino ou da Gia e do Beppe do que da história da Stella. Eu até queria uma história do Max, queria entender tudo o que ele passou. Mas a Stella me deu nos nervos.

Se eu recomendo a leitura? Com certeza recomendo. Antes de ler esse livro eu li muitas resenhas e as pessoas verdadeiramente amaram cada pedacinho da história. Acho que encontrei apenas uma resenha negativa ou duas, no máximo, mas acredito que os leitores devam ter suas próprias opiniões e não se guiar somente pelas resenhas. Se você, leitor, quer ler, siga em frente!

Se eu leria outros livros da autora? Com certeza! Inclusive eu já andei pesquisando e a autora já tem um livro que nos traz a história do Beppe e da Gia, cujo título original é Then, Now, Forever (que eu estou muito ansiosa para ler, diga-se de passagem!). Eu acho que o que mais me incomodou neste livro foi a personagem em si e seu comportamento. Não a escrita e tudo o mais.

E como sempre, eu gosto de colocar a frase que eu acho que, no livro, mais me impressionou. Dentre muitas, eu escolhi essa:

"- Essas são as três coisas que eu acho que ninguém pode viver sem. Você tem que amar algo ou alguém; não importa se é romântico ou não, mas se você não tem nada que ame em sua vida, então, você está perdido. Danificado. Quebrado. - Stella suspirou e fez uma pausa antes de falar novamente. - Você precisa ter um sonho, caso contrário, o que te fará seguir em frente? Sem um sonho, é como se você estivesse andando constantemente em um túnel escuro e sem luz no final dele. E você precisa de sorte, é claro, porque sem ela as coisas não dão certo, por mais que você tente."

A grande ironia da passagem acima é que ela é dita pela Stella. A mesma Stella que, por todos os acontecimentos passados em sua vida se achava sem sorte, e que ao mesmo tempo não se deu ao trabalho de ter um sonho, porque só via a sua doença no caminho e, quando finalmente amou alguém, ignorou os sentimentos desse alguém por um longo tempo, ficando perdida e no processo, arrastando, quebrando e afundando o coração do rapaz no sofrimento.

Bem, é isso! Um abraço e até a próxima pessoal!!

Se você quiser saber mais sobre a série e autora, basta acessar os links abaixo:
Site da Editorahttp://www.editoracharme.com.br/#!teodora-kostova/c1scw
Informações Sobre a Autora:
     Twitter: @Teodora_Kostova
     Facebook: https://www.facebook.com/teodorakostovaauthor
     Blog: http://teodorakostova.blogspot.co.uk 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário