segunda-feira, 21 de setembro de 2015

[Resenha] Um Brinde Aos Que Vão Morrer

Ficha Técnica:

ASIN: B015JX546M
Título: Um Brinde Aos Que Vão Morrer
Autor: Tuca Hasserman
Editora: Independente / Auto publicado
Ano: 2006 / 2015
Formato: Ebook
Gênero: Literatura Policial


Sinopse:

Se existisse concurso para Miss Universo Manipulação, Quilly Jensen sem dúvida seria coroada. Ela decidiu que se casaria com um homem rico e teria uma vida de rainha. Sim, muitas mulheres bonitas e inteligentes já tiveram essa mesma ideia. Mas quantas conseguiram?

Porque não basta ser linda, sexy e brilhante. É necessário saber enxergar o outro por dentro. Quilly tem esse dom. Ela vai enredando em sua teia aqueles de quem deseja obter vantagem e informações de um modo que eles nem sequer percebem o que estão fazendo. E a partir daí ela se movimenta, como num muito bem elaborado tabuleiro de xadrez.

Obstáculo é uma palavra que Quilly Jensen traduz como oportunidade de aprendizado. Por isso, o fato de seu alvo – o advogado e empresário milionário Jorge Azevedo – ser casado e ter uma amante não a desencoraja nem por um segundo.

“Eu sempre soube que o difícil seria levá-lo pra cama sem que ele soubesse que eu o tinha feito. Esse era um dos meus maiores trunfos: o Jorge sempre acharia que foi ele quem me conquistou. Homens poderosos precisam acreditar que têm o poder. Ok, façamos a vontade deles.”

Porém, cada ação tem sua consequência neste mundo. E as atitudes de Quilly irão desencadear situações terríveis, e por vezes letais, para muitos ao seu redor. E é aí que ela demonstra ainda mais a sua força, o seu poder. Porque nenhum amigo ficará sem seu apoio; e nenhum inimigo dormirá em paz.

Experiente, bela, sensual, cínica, irônica, debochada. Essas são algumas palavras que a definem. E que despertam a paixão dos homens e o ódio das mulheres. Neste romance policial, narrado sempre em primeira pessoa, você encontrará um perfeito manual de sedução. E uma anti-heroína que lhe despertará todo tipo de emoções, porque além de tudo ela não se deixa levar pela hipocrisia humana.

“Sei que eu já disse isso, mas repito: basta confrontar uma pessoa com sua natureza mais mórbida pra ela sair dos eixos. O Jorge perdeu a fala. Em poucas palavras desmascarei o plano que ele levara semanas pra arquitetar. Mulheres, mulheres, os homens são transparentes! Suas intenções são tão evidentes que vocês só se dão mal porque querem! Eles não têm a acuidade mental que possuímos. Entendam isso e dominaremos o universo!”

Talvez você venha a amá-la. Talvez venha a desprezá-la. Mas uma coisa é certa: você nunca mais irá esquecê-la.

--------------------------------------------------------------------------------------

    Antes de mais nada: Um Brinde a Tuca e Quilly!

    Aviso: o material para esta resenha foi gentilmente cedido pela autora, sendo a versão encontrada para venda. As opiniões aqui expressas são sinceras e honestas, não sofrendo qualquer alteração por parte da autora. Nossa unica regra é o respeito entre as partes.

    Quando eu era mais novo, eu li alguns contos do autor Nelson Rodrigues. Ele tinha o dom de pinçar situações do cotidiano e nos mostrar como algumas pessoas são absolutamente bizarras quando olhadas por dentro. Mas uma das coisas que nunca me desceu foram as personagens femininas... Mas isso fica pra outro dia...

    O livro da Tuca Hasserman tem muito haver com uma cronica de Nelson Rodrigues, e trás muita coisa nova se você quer comparar um e outro. A personagem principal é Quilonia Jensen, vulgo Quilly, uma estudante de jornalismo que quer subir na vida. Ela começa querendo dinheiro, mas vemos ao longo do livro que o que ela realmente quer é o poder que muito dinheiro e um marido influente trazem.

    Falando em cronicas da vida cotidiana, temos todos os clichês: o paladino adolescente que vira policial membro de grupo de extermínio, a amiga certinha que é a FALSIANE da história, o machista poderoso e dominador que acaba enrolado... Todos muito amarrados pelos laços atados por Quilly e todos muito bem escritos pela Tuca! Nunca ninguém é "mal por ser mal", ou "bom por ser bom". Alias, boa mesmo só tem uma garotinha e... melhor deixar pra você leitor descobrir :)

    A narrativa (sempre em primeira pessoa) as vezes salta entre os personagens, mas 95% ou mais do livro é a Quilly falando. E garanto que você vai rir e se emocionar com o jeito dessa mulher cínica, durona e teimosa e vai torcer por ela quando menos perceber.

    A sinceridade de Quilly é acida, mas é aquele acido que corrói o verniz das convenções sociais. Ela esta sempre jogando, sempre medindo as palavras, focada num objetivo. Você pode ficar com raiva dela de vez em quando, mas o foco é a qualidade mais admirável dessa personagem que desperta inveja e ódio a princípio, mas ela não é má. Ela não magoa as pessoas de proposito, e vemos várias vezes ela ajudando os outros, seja por vingança ou simplesmente por gratidão devido serviços prestados.

    O melhor do livro é que quando a Quilly adquire um certo poder ela o exerce de forma implacável, o que as vezes é assustador. E em nenhum momento eu achei que era forçado, pelo contrário, ela é de longe um dos personagens mais coerentes que já lí.

    A escrita da Tuca é bem fluida, minha reclamação é que os diálogos de Quilly tendem ao monologo e ao épico, sem a menor necessidade. Li esse livro em um dia, você nem vai perceber a hora passar. Compre sem medo!

Recomendadíssimo! Mais um Brinde a Tuca e Quilly! COMPRE!

--------------------------------------------------------------------------------------

Serviço:
Página do Livro -> Um Brinde Aos Que Vão Morrer

Blog da Autora -> Livros ao Amanhecer

Facebook da Autora -> Tuca Hasserman

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário