domingo, 18 de outubro de 2015

[Resenha - Quadrinhos] Planetary Volume 1 - Pelo Mundo Todo e Outras Histórias

Ficha Técnica:

Título: Planetary Volume 1 -  Pelo Mundo Todo e Outras Histórias
Autores: Warren Ellis, John Cassaday e Laura Depuy
Editora: Panini Comics
Ano: 2013
Páginas: 164

Sinopse:

Então, não tem sinopse nessa HQ. Nadinha escrito mesmo. Apenas o título e o nome dos autores. Tem uma introdução do Allan More dentro da HQ, mas não é de fato uma sinopse.
--------------------------------------------------------------------------------------
Depois de uma longa jornada por dois livros que não me agradaram tanto neste início de Outubro (exceto pela HQ Vampiro Americano, que tem resenha aqui no blog), resolvi relaxar me enveredando mais uma vez pelo mundo da ficção científica (e já adianto que aqui ela é de muito boa qualidade). Indicada pelo Amauri para que eu visse, em suas palavras, "como a ficção cinetífica deve ser", iniciei minha viagem pelo mundo de Planetary.

E agora eu estou esperando que ele me diga onde estão os outros volumes da série porque eu preciso muito entrar nesse mundo doido novamente!

Então, a história de Planetary gira em torno dessa organização que está buscando esclarecer fatos que ocorreram durante todo o século XX. O ponto aqui, é que os fatos não são qualquer coisa, são verdadeiros achados!

Tudo começa quando a agente Jakita Wagner, que já está trabalhando para a Planetary por cerca de quatro anos, recruta o Dr. Elijah Snow para integrar sua equipe de trabalho. Essa equipe é bastante heterogênea, na minha opinião. O Dr. Snow é super fechado e me pareceu ter uma aura de mistério envolvendo todo o seu tempo de vida (achei ele bastante recluso). O segundo integrante, que é nomeado como O Baterista (sim, é somente isso mesmo), me parece ser um cara super inteligente, apesar de ter alguns comportamentos típicos de um doido varrido. A Jakita, com aquele discurso de que entrou para a Planetary para se livrar do tédio (não é bem isso o que ela fala, mas é o que dá a entender), não sei não... Acho que aí tem mais coisa. E ainda temos um quarto membro misterioso que ninguém sabe quem é, pois ele nunca aparece fisicamente na história. O fato é que, pela modesta quantia de US$ 1 milhão de dólares por ano trabalhado, o Dr. Snow aceita o trabalho e juntos, os três começam a dar forma a história.

E que história! Sabe quando o autor escreve algo que te prende? Foi exatamente o que aconteceu comigo em Planetary. Eu fiquei tão empolgada com a leitura que realmente anotei alguns pontos da história que batem. Por exemplo, uma certa quantidade de dimensões, uma certa quantidade de ângulos e o nome fofinho de um grupo terrorista. O autor não joga na sua cara toda a história, pelo contrário, deixa um monte de pontas soltas que, segundo o Amauri se ligarão brilhantemente no final.

Mas o que eu acredito que tenha me deixado bastante satisfeita foi a linguagem utilizada por ele. Nada de explicações desnecessárias, nada de palavras esquisitas e enredo difícil só porque estamos diante de uma ficção científica. Muito pelo contrário! A linguagem flui, os quadrinhos eu achei muito bem desenhados (apesar de não ser expert nessa área) e os capítulos são muito bem escritos.

Não dá pra contar muito mais em uma resenha desse quadrinho, porque senão vou acabar entregando a história. O que posso dizer é que de todos os capítulos os que mais me chamaram a atenção foram a  história do policial e a da nave alienígena. Nesta última, a posição tomada pelo Sr. Wilder só porque "é o certo a se fazer" foi emocionante.

Como não podia deixar de apontar, o diálogo que mais me encantou nesse quadrinho foi este entre o Sr. Wilder e O Baterista (ele está dentro de um contexto, que não vou colocar para não entregar a história):

" Sr. Wilder: Sou a primeira. Preciso achar outras seis.
  O Baterista: Mas por quê?
  Sr. Wilder: Porque é a atitude correta."

Enfim, recomendo muito a leitura de Planetary. Acredito que quem ler este primeiro volume terá o mesmo interesse em continuar os próximos. Eu não vejo a hora!! Mais informações sobre o quadrinho podem ser encontradas aqui embaixo. 

Divirtam-se e até a próxima!!

Saiba mais sobre:

Hotsite da DC: http://hotsitepanini.com.br/dc/ (vem no verso da capa do quadrinho)
Hostsite da Vertigo: http://hotsitepanini.com.br/vertigo/ (onde eu de fato encontrei info sobre a HQ)

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

[Resenha] Num Piscar De Olhos

Ficha Técnica:

ISBN: 978-85-68056-11-0
Título: Num Piscar De Olhos
Título Original: In a Heartbeat
Série: Heartbeat
Autora: Teodora Kostova
Editora: Editora Charme
Tradução: Ingrid Lopes
Ano: 2015
Páginas: 396
Categoria: Romance Estrangeiro

Sinopse:

Stella passou por grandes perdas em sua vida. Lidou com a morte muito jovem e com a saudade da sua melhor amiga, que foi morar na Itália com a mãe. quando a vida está começando a entrar nos eixos, a notícia de que ela está com câncer a deixa novamente sem chão. Após o doloroso tratamento, os médicos acreditam que Stella está finalmente recuperada e ela decide passar um tempo em Gênova, na Itália, para reencontrar sua prima e melhor amiga, antes de retornar ao médico para fazer o exame que determinará se ela está realmente curada. O que ela não imaginava é que a Itália vai lhe dar uma nova razão para viver.

Max se apaixona por Stella à primeira vista, mas conquistá-la não será fácil, já que há muita coisa que pode mantê-los separados para sempre. Após muita luta, Max finalmente vence sua resistência e conquista seu lugar ao lado da mulher que ama.

Mas será que Max e Stella serão fortes o suficiente para lutar nã só por seu amor, mas também por suas vidas?
--------------------------------------------------------------------------------------
Conheci esse livro em um dos eventos literários feitos pela Elimar Souza, do blog Alquimia dos Romances no Rio de Janeiro, o Papos&Ideias. O que mais me chamou a atenção nele, primeiramente foi a história da capa. Neste mesmo evento, foi explicado que autora encontrou essa foto e decidiu que escreveria uma história que a teria como capa. Após terminar o livro, descobri que isso realmente aconteceu, visto que a autora menciona essa situação na seção de "Agradecimentos" em seu final.

Aqui temos a personagem principal, Stella Quinn, uma menina de 14 anos, que está em casa, juntamente com sua mãe Helen e sua tia Nikki, esperando seu irmão mais velho, seu pai e seu tio (esposo de Nikki e pai de Lisa - sua prima) chegarem para assistir a um jogo na televisão. E a primeira mudança na vida da menina ocorre nesse mesmo dia, quando ela atende um telefonema inesperado, onde é informada sobre um acidente no qual seus três entes queridos (pai, irmão e tio) morrem. A partir daí toda a sua vida vira de cabeça para baixo. Ela perde Lisa, sua prima e melhor amiga, quando sua tia Nikki decide se mudar para a Itália para tentar um novo recomeço. Quatro anos depois, o bêbado que atingiu o carro que levou sua família a desmoronar é posto em liberdade e ela descobre que tem um câncer no fígado. Após várias idas ao hospital, ela precisa esperar algumas semanas para que o médico dê o resultado definitivo de seu tratamento, informando se ela está em remissão ou não e ela decide passar uma temporada com sua prima e tia em Gênova, na Itália. Serão seis semanas e sua mãe aceita bem a viagem e o tempo que estarão separadas uma da outra. E é aí que a história começa.

E quando a história começou eu esperava ver uma Stella madura. Apesar de ela só ter dezenove anos, passou por muita coisa e por isso eu esperava atitudes diferentes dela. Ela tem a proposta de que estará fazendo essa viagem justamente para passar um tempo com sua prima e esquecer a sua doença. Ela pretende se divertir, conhecer pessoas novas e recuperar o tempo perdido com sua melhor amiga. Mas não é isso o que ela faz... E antes de continuar essa opinião, vou falar um pouco sobre os personagens que ao meu ver, mais cresceram nessa história. Depois eu volto aqui.

Em Gênova, na Itália, conhecemos o Max. Ele é um rapaz de 22 anos, que passou por muita coisa na vida e que por isso tem seus complexos. Ele chegou ao fundo do poço após a morte de seu pai e isso fez com que os relacionamentos dele com sua irmã, Gia, com sua mãe e com seu melhor amigo, Beppe, sofressem alterações significativas. Mas após determinado acontecimento ele retoma seu rumo e consegue se reerguer. Ele tem uma personalidade forte, um quê de protetor e é o tipo de pessoa que, quando ama, ama com tudo o que tem. E ele se apaixona justamente pela Stella. Ele abre seu coração para ela. Compartilha com ela coisas que antes jamais sonharia em compartilhar porque confia nela. Porque a ama. Ele está ali a todo momento para ela e chega a ser transformado por causa do seu sentimento por ela. E a impressão que eu tenho é que isso foi pouco para Stella.

Outra parte importante dessa história é Lisa. Ela é a prima de Stella que após a morte de seu pai, teve que mudar de vida, sair de Londres e ir para um país diferente porque isso era o que a sua mãe precisava no momento. E ela soube aproveitar essa oportunidade. Ela estudou, trabalhou e vive muito bem com as suas pinturas e seus desenhos. Ela esqueceu a morte de seu pai? Não. Mas ela sabia que em algum momento teria que superar isso para poder continuar vivendo. E ela o fez. Ela se apaixonou. E Stella tirou alguma lição de tudo isso? Não.

Então, voltando para Stella... Eu tive a impressão de que ela fez durante toda a sua viagem tudo o que ela se dispôs a não fazer. Ela colocou a sua doença e as suas dores como um empecilho para tudo. Ela colocou sua doença no meio de sua relação com Max e quebrou o coração do rapaz. Senti que ele foi enganado durante toda a história e somente na página 358 ele descobre a verdade. Depois de ter sofrido pra caralho por causa do comportamento de Stella. Em nenhum momento ela pensou nele como um apoio, em nenhum momento deixou ele fazer a escolha sobre se queria segurar uma barra pesada com ela ou não... Simplesmente ignorou os sentimentos dele e pronto. Simples assim.

Com relação à Lisa... O que posso dizer? No momento em que sua prima mais precisou ela sequer deixou a menina se expressar. Pegou toda a sua frustação, dor e raiva ressentida e jogou em cima dela sem pestanejar. Nem sequer pensou que a sua melhor amiga estivesse fazendo o que fez por alguma razão maior. Simplesmente deu as costas para ela e sumiu por dias. Fiquei boquiaberta quando ela fez isso.

Em linhas gerais, posso dizer que gostei da escrita da Teodora Kostova. Só penso que em alguns momentos houveram detalhes demais que não eram tão relevantes para a história, como na passagem abaixo, onde é destacado todo o ritual de banho, hidratação e maquiagem da personagem. 

"Stella tomou um banho, tomando cuidado extra para lavar toda a água salgada do seu cabelo. Quando saiu do banheiro, ela ainda tinha cerca de uma hora antes de terem que sair. Maquiagem nunca foi seu forte - menos era mais, era a sua filosofia. Mas, tendo em vista que ia sair, Stella decidiu fazer um esforço extra. Ela hidratou o corpo e passou uma base liquida no rosto para complementar seu bronzeado. Então, delineou os olhos e aplicou duas camadas de máscara nos cílios, até que ficou satisfeita com o resultado. Com os olhos destacados, os lábios tinham que ficar mais apagados, por isso, ela aplicou um batom nude e sorriu para seu reflexo."

Também achei que o livro podia ter sido resolvido em pelo menos metade das páginas. Eu me senti tão dentro da rotina da Stella e por ela não ter sido uma personagem agradável aos meus olhos, acabei achando a história maçante. A autora é ótima, possui linguagem fluida, a tradução ficou impecável, a diagramação do livro lindíssima, mas a história em si deixou a desejar. Houveram momentos que eu quis saber mais da história da Lisa e do Gino ou da Gia e do Beppe do que da história da Stella. Eu até queria uma história do Max, queria entender tudo o que ele passou. Mas a Stella me deu nos nervos.

Se eu recomendo a leitura? Com certeza recomendo. Antes de ler esse livro eu li muitas resenhas e as pessoas verdadeiramente amaram cada pedacinho da história. Acho que encontrei apenas uma resenha negativa ou duas, no máximo, mas acredito que os leitores devam ter suas próprias opiniões e não se guiar somente pelas resenhas. Se você, leitor, quer ler, siga em frente!

Se eu leria outros livros da autora? Com certeza! Inclusive eu já andei pesquisando e a autora já tem um livro que nos traz a história do Beppe e da Gia, cujo título original é Then, Now, Forever (que eu estou muito ansiosa para ler, diga-se de passagem!). Eu acho que o que mais me incomodou neste livro foi a personagem em si e seu comportamento. Não a escrita e tudo o mais.

E como sempre, eu gosto de colocar a frase que eu acho que, no livro, mais me impressionou. Dentre muitas, eu escolhi essa:

"- Essas são as três coisas que eu acho que ninguém pode viver sem. Você tem que amar algo ou alguém; não importa se é romântico ou não, mas se você não tem nada que ame em sua vida, então, você está perdido. Danificado. Quebrado. - Stella suspirou e fez uma pausa antes de falar novamente. - Você precisa ter um sonho, caso contrário, o que te fará seguir em frente? Sem um sonho, é como se você estivesse andando constantemente em um túnel escuro e sem luz no final dele. E você precisa de sorte, é claro, porque sem ela as coisas não dão certo, por mais que você tente."

A grande ironia da passagem acima é que ela é dita pela Stella. A mesma Stella que, por todos os acontecimentos passados em sua vida se achava sem sorte, e que ao mesmo tempo não se deu ao trabalho de ter um sonho, porque só via a sua doença no caminho e, quando finalmente amou alguém, ignorou os sentimentos desse alguém por um longo tempo, ficando perdida e no processo, arrastando, quebrando e afundando o coração do rapaz no sofrimento.

Bem, é isso! Um abraço e até a próxima pessoal!!

Se você quiser saber mais sobre a série e autora, basta acessar os links abaixo:
Site da Editorahttp://www.editoracharme.com.br/#!teodora-kostova/c1scw
Informações Sobre a Autora:
     Twitter: @Teodora_Kostova
     Facebook: https://www.facebook.com/teodorakostovaauthor
     Blog: http://teodorakostova.blogspot.co.uk 

terça-feira, 6 de outubro de 2015

[Resenha - Quadrinhos] Vampiro Americano

Ficha Técnica:

Título: Vampiro Americano - Segundo Ciclo - Parte I (5 edições)
Autores: Scott Snyder e Rafael Albuquerque
Editora: Panini Comics
Ano: 2015
Páginas: 132

Sinopse:

O ano é 1965. Já faz dez anos desde que os vampiros americanos mantiveram contato pela última vez. Dez anos desde que Skinner Sweet e Pearl Jones forjaram uma improvável aliança e partiram, supostamente para o bem.

Durante esse tempo, os Estados Unidos mudaram profundamente com uma série de eventos: a corrida espacial, a contracultura e uma guerra mortífera a meio mundo de distância. Pearl transformou a fazenda de sua família no Kansas em um lar para almas perdidas em fuga de predadores - humanos e vampiros. E Skinner tornou-se um tipo diferente de predador, atacando traficantes e contrabandistas nas rodovias da fronteura com o México.

Mas algo antigo está chegando para acabar com esse novo mundo.

eles o chama de O Negociador. Mil anos atrás, a Primeira Infecção criou uma raça de monstros em constante evolução, mutação e expansão, uma cadeia da qual Skinner e Pearl são os últimos elos - e essa terrível entidade tem um segredo.

Seus seguidores são uma legião. seu poder é inimaginável. E aonde ele vai, o inferno vai logo atrás...

--------------------------------------------------------------------------------------

A leitura desse quadrinho (do qual eu tenho a leve impressão de já ter ouvido falar, diga-se de passagem), foi inesperada para mim. Comecei e terminei hoje mesmo e por essa razão, nem houve postagem sobre ele no Instagram e no Facebook do blog. Aliás acabo de perceber que nunca resenhei um quadrinho na vida, apesar de já ter lido alguns. Mas vamos lá, tudo sempre tem a sua primeira vez...

Então, alguns esclarecimentos antes de falar sobre esse quadrinho. Acho legal dizer que existe uma série anterior, chamada "Vampiro Americano", que eu não li ainda. Essa série foi criada em 2010 pelo roteirista Scott Snyder, juntamente com o ilustrador (que eu não sabia que era brasileiro, apesar do nome) Rafael Albuquerque e teve uma mãozinha também do Stephen King (sim, aquele dos livros que já conhecemos). Quem quiser conhecer um poquinho mais, tem um hotsite da Panini Comics que explica tudinho sobre a história.

Como eu só posso falar do que li, vamos às minhas impressões de Vampiro Americano - Segundo Ciclo - Parte I.

Primeiro: dá para ler esse quadrinho sem ter lido o outro. Claro que tem algumas coisas na história que você fica querendo saber, pois o Skinner e a Pearl foram personagens da série passada. Então eu fiquei morrendo de curiosidade para saber como eles se transformaram, o que eles eram antes da transformação, porque ela acolhe vampiros refugiados (isso não é spoiler, está na sinopse do quadrinho), em fim, tudo o que diz respeito aos dois. Tem até uma cena do quadrinho que dá a entender que eles tiveram algum envolvimento (se romântico ou puramente sexual, não deu pra saber).

Mas tirando essa sensação de "queria ter lido a série anterior", eu amei cada pedaço da história! Sabe aqueles vampiros que brilham e que estão lutando para proteger o seu amor e tal? Aqui não tem nada disso! O negócio é sangrento! Ao meu ver tudo gira em torno de sobreviver num mundo onde os diferentes são caçados.

E aí nós temos a Pearl, que mostra ser uma personagem super corajosa, mas que por dentro sofre com coisas que aconteceram em seu passado e que até os dias atuais atormentam sua alma. Veja bem, ela é uma vampira. Imagina como é ficar anos e anos sofrendo, afinal, ela não é mais novinha...

E o Skinner, bem, eu conheci pouco dele. Ele aparece na história, fazendo realmente o que a sinopse diz, mas acredito que na próxima parte ele deva ter um papel mais relevante (principalmente depois que... ah, tem que ler, não vou contar não!). Mas já gostei dele! Afinal o cara escapa de uma situação inusitada (tudo bem que nem ele sabe como, mas e daí - hehehehe).

Também ainda não deu pra conhecer bem O Negociador (mas dá pra perceber que ele é um aproveitador dos bons, que usa os sentimentos mais profundos da pessoa contra ela - ou seja, é um vilão maneiro!) e os outros personagens que fazem parte da história. Mas a ação que tem logo nessa primeira parte é de tirar o fôlego! Com certeza recomendo a leitura e quero os próximos e os anteriores!

Agora deixando um pouco de lado a história e falando sobre a apresentação do quadrinho... Gostei de tudo! Da capa, da diagramação... Também achei legal as capas que estão entre o início e o fim das edições (como disse ali em cima, são cinco edições dentro desse volume).

Quanto à passagem mais legal do quadrinho, bem, vou colocar a foto aqui embaixo. Não vai ter spoiler, então podem ver sem medo!!

Eu amei essa fala do Calvin no quadrinho!! Perfeita!!
Então é isso. Recomendo a leitura e creio que quem gosta de histórias de vampiros de verdade acho que vai se amarrar. Fica a sugestão para as pessoas que tomam  mês de Outubro como o Mês do Horror! Acho uma ótima pedida, viu!!

Um abraço pessoas e até mais!! 

domingo, 4 de outubro de 2015

[Resenha] Armada

Ficha Técnica:
ISBN: 9788544102992
Título: Armada
Título Original: Armada
Autora: Ernest Cline
Editora: Leya
Tradução: Fabio Fernandes
Ano: 2015
Páginas: 432
Categoria: Ficção Científica

Sinopse:

Durante toda a sua vida, Zack Lightman quis que o mundo real fosse menos chato. Segundo ele, a realidade poderia ser mais parecida com o universo dos livros de ficção científica, filmes e videogames. Poderia acontecer algo fantástico para que sua vida deixasse de ser monótona, levando-o a uma aventura ? e por que não uma aventura espacial?
Apesar disso, Zack diz a si mesmo saber a diferença entre a fantasia e a realidade e que jogadores de videogames adolescentes e sem objetivos na vida não são os salvadores do universo. Então, um dia, durante a aula de matemática, ele a vê pela janela: uma nave que se parece com o caça Glaive do videogame on-line de simulação de voo que ele joga todas as noites, Armada, que tem como objetivo proteger a Terra de uma invasão alienígena. Agora isso está realmente acontecendo. E suas habilidades, assim como as de milhões de jogadores no mundo, são necessárias para salvar o planeta da destruição.



--------------------------------------------------------------------------------------

Antes de mais nada: Editora LeYa, como assim CONTINUAÇÃO de Jogador Numero 1???
Malditos estagiários...
Prova:
Errou feio... Errou rude :p
Voltando pra resenha!

Armada, novo livro de Ernest Cline, conta a história de Zack Lightman que vive uma típica aventura estilo "filme dos anos 80":
-O protagonista é um (exímio) jogador de videogames;
-Sofre bullying de um fortão da escola;
-É abduzido por uma organização secreta que precisa salvar o dia (digo, o planeta) com suas habilidades videogamisticas;
-Salva o dia, a despeito de todas as improbabilidades.

Cliche, CLICHE! Mas ao menos é bem executado... Será?

A mãe de Zack é uma ótima jogadora de videogame, seus melhores amigos também, bem como varias pessoas de sua escola... E perdemos um importante ponto dos anos 80, que é o nerd marginal. Jogar videogame não era cool nos filmes da época. Hoje em dia é.

O outro livro de Clines, Jogador Numero 1 usa e abusa das referências da cultura pop dos anos 80 por um motivo bem claro, que é "O Concurso" (ou Caça Aos Ovos) que rola na trama do livro. Aqui em Armada, o uso das referências é mais pra fazer o leitor se sentir bacana ou coisa assim. Usar referências como forma de falar de adolescentes é MUITO forçado pra minha cabeça. Acho que seria uma forma de colocar Zack e seus amigos como marginalizados, mas não funciona.

O livro desenvolve bem, mas espere TODOS os cliches de filme dos anos 80, incluindo Ex Machina. Você foi avisado.

Ponto positivo para o tradutor Fabio Fernandes que não deixou que as referencias ficassem perdidas, mas confesso que precisei do google pra checar o "el riesgo siempre vive" da Pvt. Vasquez em Aliens...

O final é qualquer coisa, tem um gancho para um próximo livro descarado.

Sendo honesto, eu recomendo o livro com (muitas) ressalvas:
-Estou prevendo que será uma trilogia, já que os direitos foram negociados para cinema inclusive, então a manteiga de Armada será espalhada em muito pão ainda;
-Esse festival de referências gratuitas pode cansar o leitor menos nerd; e
-Quem espera algo épico como em Jogador Numero 1, vai perder seu tempo.

--------------------------------------------------------------------------------------
Serviço:
Site da Editora -> Editora LeYa
Página do Livro -> Não tem (ainda) no Brasil. Mas vejam o americano aqui! Irado!
Site do Autor -> Ernest Cline
Facebook do Autor -> Ernest Cline

sábado, 3 de outubro de 2015

[Visitando] Biblioteca Parque Estadual

     Hoje foi um dia muito especial, pois depois de ver o vídeo que a Tatiana Feltrin, do blog Tiny Little Things fez na Biblioteca Parque Estadual, aqui no Rio de Janeiro, fiquei com uma mega vontade de conhecer.
     Nunca tinha colocado os meus pés lá, apesar de ter passado várias vezes em frente, principalmente quando ela estava com a fachada antiga. Agora o exterior está renovado e o interior lindo!
     Fomos eu e o Amauri. Não tiramos muitas fotos, até para não atrapalhar as pessoas que estavam curtindo o espaço, mas por essas que estão aqui já dá pra ter uma ideia de como é o local.







     Quanto ao acervo, eu tenho certeza absoluta de que não vimos tudo o que tinha pra ver. Tem bastante coisa, de literatura estrangeira então tem até nomes conhecidos como Julia Quinn, Richelle Mead, Patricia (Meg) Cabot, Daniel Silva, Robin Cook, Nora Roberts, James Patterson, Harlan Coben e por aí vai. Também tem bastante coisa nacional, que será meu foco na próxima visita.
     Hoje eu fiquei lendo os livros do Robin Cook, que estou querendo muito, mas estão com preço super salgadinho em livrarias físicas. O Amauri optou por conhecer o livro Mistborn, Fundação e O Teste.

Minhas escolhas: Contágio e Crise, do Robin Cook.
Escolhas do Amauri: Fundação, de Isaac Asimov, Mistborn, do Brandon Sanderson
 e O Teste de Joelle Charbonneau
     Lá também tem um espaço muito legal pra comer alguma coisinha, que é o Café Literário. Ah, logo que entramos deparamos com a programação de Outubro. Olha ela na foto aí embaixo!!

Programação de Outubro de 2015
     Quem também quer ler os livros mas por qualquer motivo não pode ou opta por não comprar, pode usar o empréstimo. Lembrando que para fazer é preciso ter cadastro (tem que levar identidade, cpf e comprovante de residência que esteja com data dentro dos três últimos meses). Ah, e fazendo no dia, já é possível sair com até dois livros!! 

     O acervo da biblioteca também está disponível na Internet e a renovação do empréstimo pode ser feita online.

     Amamos essa visita e pretendemos virar frequentadores mais assíduos. Gostei de ler na atmosfera da biblioteca. É de alguma forma, especial.

     Para mais informações:


Até a próxima pessoal!!

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

[Resenha] Caçadora de Tempestades

Ficha Técnica:
ISBN: 9788522031542
Título: Caçadora de Tempestades
Título Original: Struck
Autora: Jennifer Bosworth
Editora: Agir Now
Tradução: Mariana Kohnert
Ano: 2015
Páginas: 262
Categoria: Ficção Americana

Sinopse:

Mia Pierce é viciada em raios. Já sobreviveu a inúmeros choques, mas seu desejo de receber a energia liberada durante tempestades coloca em risco sua vida e a de todos ao seu redor.
Los Angeles, onde raramente há tempestades, é um dos poucos lugares em que Mia se sente segura. Mas quando um terremoto destrói a cidade, seu porto-seguro é transformado em um campo minado de caos e perigos. Neste cenário aterrador, dois grupos antagônicos se formam, e ambos vêem Mia como a chave para as profecias de uma tempestade ainda maior que está por vir.
Mia quer confiar no enigmático Jeremy, que prometeu protegê-la, mas teme que ele não seja quem diz ser. No fim, o poder e a paixão que os aproximou pode ser o que vai colocar tudo a perder. Agora Mia precisa aprender a utilizar seus poderes, ou então pode acabar perdendo tudo o que ama.

--------------------------------------------------------------------------------------

Caçadora de Tempestades é um filme de ação disfarçado de livro. Simples assim.

Se ele fosse um filme, seria um bem bacana. Esse filme contaria sobre os dias seguintes após um grande terremoto na Cidade dos Anjos, Los Angeles. Com uma grande parte da cidade destruída, teríamos Mia Pierce, uma adolescente de 17 anos que cuida de sua mãe com Stress Pós Traumático, do irmão que praticamente perdeu todos os amigos, falta de comida e remédios, ausência da segurança pública, hormônios da adolescência...

Ah! E ainda uns probleminhas: um culto apocaliptico esta anunciando o fim do mundo para dalí a 3 dias e uma sociedade secreta quer recruta-la para lutar contra esse culto apocaliptico. O alivio dessas tretas? Um jovem gostosão (óbvio, tem que ter um gostosão né?) tenta apenas afasta-la de tudo isso...

Mas por que Mia Pierce é tão importante? Ela parece ser uma fonte de poder. Foi atingida inúmeras vezes por raios e nunca morreu, apesar de carregar as cicatrizes pela pele. O tal terremoto que destruiu Los Angeles? Provocado por raios. E ela sente esses raios dentro de si, assim como se sente atraída pelos raios de uma tempestade...

Pescou a conexão?

Mas o livro não é um filme, o que é ainda melhor :) Podemos acompanhar as reflexões de Mia sobre seus relacionamentos com a mãe (muito conturbado), com o irmão (seu cúmplice que acaba se afastando), com Jeremias (com quem ela quer "pegar fogo e derreter"), e com sua própria esquisitice de ser atingida por raios e poder eletrocutar pessoas quando perde a calma...

O livro fala de alguns pontos conturbados no desenvolvimento adolescente, tratados com muito respeito: a atração sexual que Mia sente por Jeremy é super comum em adolescentes (alias em qualquer ser humano... vivo...) e ela nunca é julgada por isso, assim como o drama de aceitação do corpo, pois o corpo de Mia é marcado por cicatrizes devido aos raios. A fronteira entre ser independente da mãe e precisa do apoio dessa mãe que está muito fragilizada rende um bom dialogo e reflexão da propria personagem.

Tudo isso faz do livro algo que, pra mim, tem bastante valor. Eu recomendo fortemente para leitores jovens e adolescentes. A protagonista tem muitas qualidades e a narrativa é bem bacana. É um livro que você acaba rapidinho e pode render boas conversas com seus filhos.

A tradução de Mariana Konhert está ótima! As referencias a cultura pop não te deixam perdido em nenhum momento!

Por tudo isso, RECOMENDO!

--------------------------------------------------------------------------------------
Serviço:
Site da Editora -> Editora Agir Now
Página do Livro -> Caçadora de Tempestades
Site da Autora -> Jennifer Bosworth
Facebook da Autora -> Jennifer Bosworth

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

[Resenha] Horas Noturnas

Ficha Técnica:
ISBN: 978-85-67826-04-2
Título: Horas Noturnas
Autora: Bianca Carvalho
Editora: Editora EraEclipse
Ano: 2015
Páginas: 200
Categoria: Literatura Nacional / Ficção Brasileira / Romance / Mistério / Épico

Sinopse:


Inglaterra, 1863

Uma bela e delicada mulher com inteligência aguçada para investigação...
Um charmoso caçador de assassinos tornando-se lenda por eliminá-los com requintes de crueldade...
Um assassino que deixa charadas, com sede de sangue e um gosto peculiar por Edgar Allan Poe...

Um romance arrebatador e sensual entre um homem misterioso e uma mulher à frente do seu tempo; um suspense gótico e cheio de tensão do começo ao fim.

--------------------------------------------------------------------------------------

Antes de qualquer coisa: eu achei que tinha descoberto o assassino, mas não!!! Que final foi esse desse livro?? A-D-O-R-E-I!

Nesta história maravilhosa que saiu da cabeça da querida Bianca Carvalho, vamos conhecer a "muito à frente do seu tempo" Maryanne Lestrange. Ela tem dezenove anos, é linda, frágil e delicada e, enquanto todas as suas amigas pensam em se casar com bons partidos e formar família, seja num casamento por amor ou num casamento arranjado - que é o que acontece na grande maioria das vezes - ela apenas quer ser livre e trabalhar no que mais gosta, ou seja, com investigações de cenas de crime, auxiliando o seu pai na resolução dos casos mais sinistros e macabros. Maryanne preza muito sua liberdade, é teimosa e curiosa e isso faz com que ela seja uma mulher especial.

"Joseph conhecia o pequeno demônio que tinha em casa. A face angelical, os cabelos castanhos delicados, o rosto de porcelana, os olhos verdes e a compleição pequena e frágil, apenas enganavam qualquer um que se aproximasse. Poderiam pensar que ela era inocente, tola e influenciável como a maioria das jovens que conheciam, mas ele podia jurar que nenhum homem estava realmente preparado para o furacão que era Maryanne Lestrange."
(Pág: 28)

Também vamos conhecer o ex-inspetor de polícia Joseph Lestrange. Joseph é um pai maravilhoso para Maryanne, que prometeu à filha que nunca a obrigaria a um casamento forçado, fugindo do estereótipo dos pais das meninas da época. Ele nunca se perdoou pela morte de sua esposa Berenice, que fora encontrada morta nos braços da filha em circunstâncias estranhas e cujo algoz nunca foi encontrado pela polícia. Desde este dia fatídico o mesmo deixou a polícia, mas ainda é chamado para ajudar em situações que a esta não consegue dar conta sozinha. E para resolver esses casos, ele conta com sua parceira, nada mais nada menos que sua filha, que possui grandes habilidades investigativas.

"Assim que ouviu o chamado, Joseph sorriu de forma um pouco desanimada. Já não era inspetor de polícia há uns cinco anos, mas as pessoas insistiam em nomeá-lo assim. Ele abandonou a delegacia e se tornou detetive particular; o que foi uma benção e um grande problema ao mesmo tempo. Sua vida se tornara mais calma e passara a ganhar bem mais dinheiro, porém, despertara a paixão pela investigação em Maryanne."
(Pág: 6)

E para coroar essa história cheia de mistério, também vamos conhecer o Caçador. O Caçador é um homem com a alma negra e atormentada, que decidiu fazer justiça com as próprias mãos, eliminando assassinos que nunca seriam colocados atrás das grades pela polícia. Sua identidade nunca fora revelada, mas durante a história podemos ver que ele é um personagem chave. Misterioso e charmoso, ele desperta a curiosidade de Maryanne, que se vê em sua companhia depois de uma das confusões em que ela resolve se meter. Mas dele eu não posso falar muito, vocês vão ter que ler a história para descobrir.

"Não um homem comum. Um homem que usava uma máscara negra, que lhe cobria a cabeça, os olhos e o nariz, quase chegando à altura dos lábios. Não era possível ver muito de seus olhos, mas ela pôde perceber que ele estava olhando para ela. De forma muito profunda e intensa, como se estivesse preso. Ou... algo mais..."
(Pág: 13)

Somado à esses três personagens maravilhosos, ainda temos um assassino misterioso, que está eliminando moças jovens de forma cruel, sempre utilizando o mesmo método e deixando bilhetes nas cenas do crime, sendo que, quando Maryanne encontra um deles no casaco que Joseph leva para casa, a história do livro começa a tomar forma.

E o que dizer dessa história? Surpreendente! O livro não cansa, você fica o tempo todo torcendo por Joseph e Maryanne, para que eles desvendem logo o caso e para que as mortes acabem. Mas a autora sabe dosar as reviravoltas do livro, colocando acontecimentos inusitados que fazem você se perguntar "Como assim??" e aí você fica meio que sem vontade de dormir para chegar logo ao final da história.

Além disso, em termos de diagramação e capa a Editora EraEclipse está de parabéns! Achei linda a idéia de começar as primeiras páginas com folhas negras, pois cai muito bem com a cena inicial que está sendo descrita. Enfim, Horas Noturnas entrou para a minha lista de favoritos, com um enredo sensacional, linguagem fluida e personagens muito bem construídos.

Quer conhecer mais da história? Bem, eu poderia ficar falando aqui e dando grandes spoilers, mas não posso de forma alguma tirar do leitor a experiência de trilhar junto com Maryanne sua jornada! Agora se quiser conhecer mais a autora, só clicar nos links aí embaixo. Ela também tem uma série maravilhosa, a Trilogia das Cartas, que eu já tive o prazer de ler e em breve espero ter a oportunidade de resenhar por aqui!

Sobre a autora:

Facebook: https://www.facebook.com/paginabiancacarvalho?fref=ts

Até a próxima pessoal!!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

[Resenha] Um Brinde Aos Que Vão Morrer

Ficha Técnica:

ASIN: B015JX546M
Título: Um Brinde Aos Que Vão Morrer
Autor: Tuca Hasserman
Editora: Independente / Auto publicado
Ano: 2006 / 2015
Formato: Ebook
Gênero: Literatura Policial


Sinopse:

Se existisse concurso para Miss Universo Manipulação, Quilly Jensen sem dúvida seria coroada. Ela decidiu que se casaria com um homem rico e teria uma vida de rainha. Sim, muitas mulheres bonitas e inteligentes já tiveram essa mesma ideia. Mas quantas conseguiram?

Porque não basta ser linda, sexy e brilhante. É necessário saber enxergar o outro por dentro. Quilly tem esse dom. Ela vai enredando em sua teia aqueles de quem deseja obter vantagem e informações de um modo que eles nem sequer percebem o que estão fazendo. E a partir daí ela se movimenta, como num muito bem elaborado tabuleiro de xadrez.

Obstáculo é uma palavra que Quilly Jensen traduz como oportunidade de aprendizado. Por isso, o fato de seu alvo – o advogado e empresário milionário Jorge Azevedo – ser casado e ter uma amante não a desencoraja nem por um segundo.

“Eu sempre soube que o difícil seria levá-lo pra cama sem que ele soubesse que eu o tinha feito. Esse era um dos meus maiores trunfos: o Jorge sempre acharia que foi ele quem me conquistou. Homens poderosos precisam acreditar que têm o poder. Ok, façamos a vontade deles.”

Porém, cada ação tem sua consequência neste mundo. E as atitudes de Quilly irão desencadear situações terríveis, e por vezes letais, para muitos ao seu redor. E é aí que ela demonstra ainda mais a sua força, o seu poder. Porque nenhum amigo ficará sem seu apoio; e nenhum inimigo dormirá em paz.

Experiente, bela, sensual, cínica, irônica, debochada. Essas são algumas palavras que a definem. E que despertam a paixão dos homens e o ódio das mulheres. Neste romance policial, narrado sempre em primeira pessoa, você encontrará um perfeito manual de sedução. E uma anti-heroína que lhe despertará todo tipo de emoções, porque além de tudo ela não se deixa levar pela hipocrisia humana.

“Sei que eu já disse isso, mas repito: basta confrontar uma pessoa com sua natureza mais mórbida pra ela sair dos eixos. O Jorge perdeu a fala. Em poucas palavras desmascarei o plano que ele levara semanas pra arquitetar. Mulheres, mulheres, os homens são transparentes! Suas intenções são tão evidentes que vocês só se dão mal porque querem! Eles não têm a acuidade mental que possuímos. Entendam isso e dominaremos o universo!”

Talvez você venha a amá-la. Talvez venha a desprezá-la. Mas uma coisa é certa: você nunca mais irá esquecê-la.

--------------------------------------------------------------------------------------

    Antes de mais nada: Um Brinde a Tuca e Quilly!

    Aviso: o material para esta resenha foi gentilmente cedido pela autora, sendo a versão encontrada para venda. As opiniões aqui expressas são sinceras e honestas, não sofrendo qualquer alteração por parte da autora. Nossa unica regra é o respeito entre as partes.

    Quando eu era mais novo, eu li alguns contos do autor Nelson Rodrigues. Ele tinha o dom de pinçar situações do cotidiano e nos mostrar como algumas pessoas são absolutamente bizarras quando olhadas por dentro. Mas uma das coisas que nunca me desceu foram as personagens femininas... Mas isso fica pra outro dia...

    O livro da Tuca Hasserman tem muito haver com uma cronica de Nelson Rodrigues, e trás muita coisa nova se você quer comparar um e outro. A personagem principal é Quilonia Jensen, vulgo Quilly, uma estudante de jornalismo que quer subir na vida. Ela começa querendo dinheiro, mas vemos ao longo do livro que o que ela realmente quer é o poder que muito dinheiro e um marido influente trazem.

    Falando em cronicas da vida cotidiana, temos todos os clichês: o paladino adolescente que vira policial membro de grupo de extermínio, a amiga certinha que é a FALSIANE da história, o machista poderoso e dominador que acaba enrolado... Todos muito amarrados pelos laços atados por Quilly e todos muito bem escritos pela Tuca! Nunca ninguém é "mal por ser mal", ou "bom por ser bom". Alias, boa mesmo só tem uma garotinha e... melhor deixar pra você leitor descobrir :)

    A narrativa (sempre em primeira pessoa) as vezes salta entre os personagens, mas 95% ou mais do livro é a Quilly falando. E garanto que você vai rir e se emocionar com o jeito dessa mulher cínica, durona e teimosa e vai torcer por ela quando menos perceber.

    A sinceridade de Quilly é acida, mas é aquele acido que corrói o verniz das convenções sociais. Ela esta sempre jogando, sempre medindo as palavras, focada num objetivo. Você pode ficar com raiva dela de vez em quando, mas o foco é a qualidade mais admirável dessa personagem que desperta inveja e ódio a princípio, mas ela não é má. Ela não magoa as pessoas de proposito, e vemos várias vezes ela ajudando os outros, seja por vingança ou simplesmente por gratidão devido serviços prestados.

    O melhor do livro é que quando a Quilly adquire um certo poder ela o exerce de forma implacável, o que as vezes é assustador. E em nenhum momento eu achei que era forçado, pelo contrário, ela é de longe um dos personagens mais coerentes que já lí.

    A escrita da Tuca é bem fluida, minha reclamação é que os diálogos de Quilly tendem ao monologo e ao épico, sem a menor necessidade. Li esse livro em um dia, você nem vai perceber a hora passar. Compre sem medo!

Recomendadíssimo! Mais um Brinde a Tuca e Quilly! COMPRE!

--------------------------------------------------------------------------------------

Serviço:
Página do Livro -> Um Brinde Aos Que Vão Morrer

Blog da Autora -> Livros ao Amanhecer

Facebook da Autora -> Tuca Hasserman

domingo, 20 de setembro de 2015

[Nós Fomos - Evento] Love Is In The Air

Olá pessoal!!

     Estamos de volta para falar sobre o que rolou ontem no evento Love Is On The Air, que ocorreu na Livraria da Travessa do Barra Shopping, aqui no Rio!

     
     A organização do evento está de parabéns! O Blog Liliterário, da Lívia Soares e o Clube dos Canalhas proporcionaram para nós, leitores, uma tarde maravilhosa e num clima de muito romance.

     Foram organizadas brincadeiras, teve a presença de duas autoras, Cátia Mourão (que acho eu deve ser mais conhecida pela publicação da saga Mais Além da Escuridão) e a autora Bya Campista (não conhecia ela, mas é um amor de pessoa e muito engraçada - em breve conhecerei seus livros, viu!), sorteio de brindes de parceiros e uma decoração toda especial.

Autoras Convidadas: Da esquerda para a direita - Cátia Mourão e Bya Campista

     Eu não sou lá muito sortuda com esse negócio de sorteio, mas acabei por ganhar o livro da foto aí embaixo (que já descobri que é o terceiro de uma série, então por enquanto não será lido).

Tentação, da autora Eve Berlin. Terceiro livro de uma série.
Primeiro livro: Luxúria e Segundo livro: No Limiar do Desejo

     Além disso também recebi essa sacolinha super linda personalizada para o blog que veio com muita coisa legal dentro!

Sacolinha fofa! E tem todas as redes sociais do blog ali!

     Minha única ressalva porém, foi o controle do tempo. Achei que o evento ficou muito longo (pelas minhas contas, foram mais de três horas). Mas, tirando isso, tudo deu super certo!

     Esperamos que sejam realizados mais eventos em breve, para podermos prestigiar de novo!!

Um Grande Abraço!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

[Evento] Love Is In The Air

Fofíssima essa chamada não?? :-)
Olá pessoal!!

Está sem nada para fazer sábado, 19/09, à tarde? Gosta de eventos literários? Mora ou está de visita no Rio de Janeiro? Se você respondeu sim a todas essas perguntas, então fica aqui uma dica para você!!

A Lívia Soares, do Blog Liliterário e o Clube Dos Canalhas estarão realizando um evento amanhã, na Livraria da Travessa do Barra Shopping, às 15 hs! Vai ser um evento sobre romances e para quem quiser saber mais, tem uma página no Facebook inteirinha dedicada aos detalhes, que você pode acessar clicando aqui! E não esqueça de confirmar sua presença! 

Encontro vocês lá!!